Próximas eleições e a proteção das informações pessoais

Há poucos anos, quando um candidato queria denigrir a imagem dos seus opositores, colocava uma matéria em um site de origem duvidosa ou mandava imprimir panfletos com algum tipo de denúncia para distribuir aos eleitores.

Agora tudo mudou, as companhas eleitorais estão cada vez mais abastecidas de novas tecnologias e os ataques não são mais em palanques físicos, mas sim nos palanques virtuais.

Os políticos ou candidatos, na sua maioria, não tem o devido cuidado quando o assunto é coleta, tratamento e segurança de informações pessoais. Raros são aqueles que tem ideia da quantidade de informações pessoais que são disponibilizadas ou não protegidas, ficando a mercê para que os seus opositores usem no palanque virtual.

De fato, as mídias sociais e aplicativos de comunicação instantânea serão os maiores inimigos dos candidatos nas próximas eleições. A ilusão da “segurança da informação”, coloca, desde já, os menos preparados em situações, no mínimo, constrangedoras.

Para aquele que pretende manter uma boa imagem perante a sociedade ou ser candidato a cargos eletivos, nas próximas eleições, é preciso que tenha em sua equipe de trabalho um profissional para tratar e proteger as informações pessoais nas redes sociais. Não menos importante que a geração da informação, é a sua proteção.

*Cristovão Pinheiro é jornalista, publicitário e consultor político. Coordenou e participou de diversas campanhas eleitorais, presta consultoria em marketing político e realizou assessoria para o Escritório Econômico e Cultural de Taipei no Brasil – Representação do governo da República da China (Taiwan) no Brasil.

Compartilhar