Sociedade Brasileira de Nanomedicina reconhece pesquisa da UFG

A Sociedade Brasileira de Nanomedicina se posicionou favorável aos estudos realizados pelo curso de pós-graduação em ciências farmacêuticas da Universidade Federal de Goiás, que desenvolveu uma partícula capaz de capturar a cocaína e a lidocaína presentes no sangue e evita que essas substâncias cheguem ao cérebro.

A Nanotecnologia voltada à saúde vem se desenvolvendo no Brasil, demonstrando um crescimento exponencial, em decorrência do trabalho em Rede e como uma evolução natural do crescimento da área.

Na atualidade existe um grupo na Universidade Federal de Goiás atuando em Nanotecnologia Farmacêutica de forma eficiente e competitiva e que é destaque inquestionável, devido ao impacto que a tecnologia em nanoescala imprime positivamente à terapêutica.

A Sociedade Brasileira de Nanomedicina também reconheceu que a referida pesquisa irá contribuir para o desenvolvimento da Nanomedicina no Brasil.

Francisco Pinheiro, 
da Redação

Compartilhar