quarta-feira, junho 12, 2024
São Paulo

Nanomedicina tem previsão de crescimento de 8,28%

O mercado global de Nanomedicina tem uma previsão de crescimento de 8,28% no período de 2023 a 2027, e poderá atingir um valor de investimento de US$ 242.655,19 milhões até 2027. A informação está em um relatório publicado pela ReportLinker, empresa francesa especializada em pesquisa de mercado.

Apesar do Brasil não estar entre os maiores players do mercado mundial, aqui já são desenvolvidas pesquisas importantes na área de Nanomedicina, além disso, espera-se que a cada ano, cresçam os investimentos em atividades de pesquisa e desenvolvimento, por atores públicos e privados, visando encontrar novas soluções e criar novas oportunidades de crescimento para o mercado brasileiro.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Nanomedicina, Cristovão Pinheiro, o crescimento acentuado da Nanomedicina no mundo é esperado porque as demandas dos cuidados com a saúde vêm se ampliando cada vez mais. “Os gastos com tratamentos para saúde, de forma especial na oncologia ou no caso de doenças cardiovasculares, trazidos pelo estilo de vida moderno, mostram que a Nanomedicina é a saída mais eficiente a longo prazo, tanto do ponto de vista econômico como na eficácia de tratamento e no diagnóstico preventivo, o que deverá, no futuro, diminuir as despesas com saúde.”

Ainda de acordo com a pesquisa realizada pela ReportLinke, os dispositivos para a entrega de medicamentos dominaram o mercado global em 2021, participando em cerca 30,23% das transações gerais. Segundo o mesmo levantamento, esse segmento deverá manter seu domínio nos próximos cinco anos.

Cristovão Pinheiro
Cristovão Pinheiro – Foto: Wesley Sousa – Ascom/MCTI

Os nanodispositivos, que entregam os medicamentos com precisão e na proporção certa, tem se mostrado muito eficazes nos tratamentos de doenças crônicas, como o câncer, e um dado interessante é que as matérias utilizadas para construção de nanodispositivos são encontrados em abundância no Brasil. “As riquezas naturais, de forma especial, as reservas de grafeno, encontradas em abundância no Brasil, coloca o nosso país em uma situação privilegiada quando o assunto é o desenvolvimento de novos nanodispositivos para a entrega de medicamentos ou para diagnósticos de doenças, mas para que possamos colher esses frutos é preciso que os nossos pesquisadores seja cada vez mais motivados, com apoio financeiro e estrutural para realização das suas pesquisas.”, disse Cristovão Pinheiro.

No Brasil já existem diversos movimentos, públicos e privados, que apoiam o desenvolvimento da Nanomedicina, entre eles, hoje, destaca-se a Sociedade Brasileira de Nanomedicina, que promoverá nos dias 23 e 24 de setembro o II Congresso Brasileiro de Nanomedicina. Neste congresso cientifico, serão apresentados os principais avanços na área e como o papel da nanotecnologia é fundamental no tratamento e prevenção de doenças, além  de fomentar o debate contínuo sobre o futuro da Nanomedicina no Brasil.

Fonte: Sociedade Brasileira de Nanomedicina
Foto: Ascom/Nanomed

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − vinte =